Estudo bíblico – tema: O amor cristão/ a marca de um cristão

baseado também no estudo em áudio/mp3 do pr. Martin Holdt

Texto base: 1 Pedro cap.1 v.22-25:Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro; Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; Mas a palavra do Senhor permanece para sempre.”

João 13.34-35:Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.”

Esse trecho nos diz que o mandamento de amarmos uns aos outros é da maneira que Cristo nos ama e esse amor é sacrificial. Ele deu sua vida por nós!!!

João 15.12, 17:12 O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. 17 Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros.”

Jonathan Edwards, o pastor do avivamento americano disse: “o amor é o cerne da religião

Francis Schaeffer, teólogo cristão evangélico americano, filósofo, disse o seguinte: “o amor é a marca do cristão

O amor do cristão é muito diferente do amor sentimental do mundo. Esse amor ÁGAPE não se reduz a gestos físicos (abraços, apertos de mão etc.). Se não nos amarmos estaremos espiritualmente destruídos e é exatamente quando falta o amor que uma congregação começa a cair, começa a falir de fato.

O texto de 1 Pe nos diz que essa é a nossa missão.

1 João 3.14:Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama a seu irmão permanece na morte.”

Este texto traz a segurança de nossa passagem da morte para a vida.

1 João 2.9-11:Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus. Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo. Qualquer que não pratica a justiça, e não ama a seu irmão, não é de Deus. Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros.

Amor é um sinal do novo nascimento. Isso implica que alguém não pode dizer que é cristão se não ama outros cristãos. Devemos nos perguntar quem é nossa companhia preferida. Muitos crentes não querem muito contato com irmãos da mesma fé. O Salmo 16 nos mostra de quem deve ser nossa companhia preferida:

Sl 16.3:Quanto aos santos que estão na terra, eles são os ilustres nos quais está todo o meu prazer.

Mesmo que às vezes essa companhia te irrite. O texto de 1 Pe 1.22 diz que a verdade do Senhor nos torna mais que bons amigos, pois diz que devemos nos amar “ardentemente”. Não pode ser algo superficial.

O filme “Pela vida de um amigo” (de 1998, com Vince Vaughn, Anne Heche e Joaquin Phoenix) coloca uma questão muito interessante a respeito do peso de amizades. Um trio de jovens americanos curtem as férias num país paradisíaco regada a drogas, mulheres e bebidas. Quando as férias acabam, dois deles voltam para os EUA mas no mesmo dia o terceido deles acaba preso, pois osoutros deixaram com ele 104g de haxixe e, segundo as leis locais, a partir de 100 gramas o portador é considerado traficante e a pena é a morte por enforcamento. Dois anos depois, surge uma advogada que os informa sobre a situação e diz que há um acordo verbal que diz que se um deles voltar para cumprir a pena terá de ficar seis anos preso, se os dois voltarem três anos de prisão para cada um e se nenhum voltar o amigo será enforcado em oito dias.

Qual a resposta que daríamos em relação ao nosso chamado cristão a uma questão como essa na vida? O termo grego usado para a palavra “ardentemente” é o mesmo que foi traduzido por “intensamente” quando Jesus orou em profunda tribulação no Jardim das Oliveiras em Lucas 22.44:E, [Jesus] posto em agonia, orava mais intensamente; e o seu suor tornou-se como grandes gotas de sangue, que caíam sobre o chão.

Essa mesma palavra aparece no livro de Atos 12.5 na expressão “com insistência”* ou “incessantemente”, depende da tradução: “Pedro, pois, estava guardado na prisão; mas a igreja orava com insistência a Deus por ele”.
*obs.: no grego, freqüentemente um termo é traduzido por duas palavras, para complementar seu conteúdo.

Outro versículo dá a expressão completa deste mandamento:

1 João 3.16:Nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós, e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos.

Devemos observar o contraste que há entre o amor de Cristo e o amor do mundo. Repare como Judas amou de forma mundana, apenas por atitudes externas, que aparentava ser cristão mas roubava das ofertas (Jo 12.6) e traiu o Senhor com um gesto aparentemente de afeição.

O amor cristão é desinteressado no sentido de não haver interesses políticos, egoístas ou mesquinhos na amizade. É amor que se interessa pelo indivíduo, pela pessoa, não por uma situação que pode ser vantajosa.

Repare nos versos de Jo 13.2 a 5:Estava sendo servido o jantar, e o diabo já havia induzido Judas Iscariotes, filho de Simão, a trair Jesus. Jesus sabia que o Pai havia colocado todas as coisas debaixo do seu poder, e que viera de Deus e estava voltando para Deus; assim, levantou-se da mesa, tirou sua capa e colocou uma toalha em volta da cintura.”

Jesus sabia que Judas o trairia!!! E lavou seus pés!! Ele nos ama mesmo pecadores como somos. Pecamos todos os dias, imagine se o Senhor esperasse um dia em que não pecássemos para nos amar… iríamos todos para o inferno!! É um amor intenso, incessante e sacrificial.

E o v. 34 reafirma isso: “Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros.

Repare que não é seletivo, não podemos escolher a quem vamos amar na igreja!! O texto de 1 Pe 1.23 diz que Ele nos capacita pois nos supriu por “semente corruptível”. Já estamos supridos, esta é a mensagem!!!

Pense no seguinte, o que concluímos quando vemos parentes – que são ligados por toda a vida pelo elo genético – que não se falam, não se amam? Parece loucura mas vemos muito disso por aí.

Que loucura maior não é ter irmãos na fé – que são ligados por toda a eternidade pela salvação em Cristo – que não se falam, não se ‘bicam’? Por que parece que esse amor tem se ausentado da igreja de forma geral? Quando buscamos pela Palavra, somos aumentados na capacidade de amar mais. Vejamos este texto:

Atos 2.42-44:E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.

Doutrina… juntos… tudo em comum!! Dizem que doutrina divide igreja mas não de acordo com as Escrituras!!

Efésios 4.15-16 diz: “Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.

Se estivermos dispostos mesmo a buscar a Deus, esse amor será despertado em nós!!!

Romanos 15.7 diz assim: “Por isso acolhei-vos uns aos outros, como também Cristo nos acolheu para promoverdes a glória de Deus.

Romanos 14.10 nos lembra que muitas vezes não nos damos bem com algum irmão pois estamos julgando-o, na verdade: “Tu, porém, porque julgas a teu irmão? ou tu também, porque desprezas a teu irmão? pois todos compareceremos perante o tribunal de Deus.

Destaco 3 coisas como dicas para esse caminho:

  1. passar a ter mais contato com os irmãos – a igreja primitiva tinha comunhão diária.
  2. orar uns pelos outros. No livro de Jó, no cap. 42, v.10 diz que Deus ficou satisfeito com ele “quando este orava pelos seus amigos” e “e o Senhor deu a Jó o dobro do que antes possuía”. No Novo Testamento temos a informação que Paulo orava constantemente por seus irmãos.
  3. devemos buscar profundamente do amor de Deus em Cristo – Ele amou intensamente a nós e também amou intensamente o irmão que temos dificuldade em nos relacionar.
About these ads

Tags: , , ,

Uma resposta to “Estudo bíblico – tema: O amor cristão/ a marca de um cristão”

  1. Mari Gualano Says:

    Muito profunda essa mensagem. Com relação ao amor, algo que realmente me faz pensar demais é o texto de João 17, principalmente os versos 20 e 21:

    “E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim;
    Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.”

    Jesus coloca uma condição. Nós temos que ser um para que o mundo creia que Ele foi enviado. Só isso já me faz ficar extremamente incomodada com o que temos sido como igreja hoje.

    Que possamos ser um. O mundo precisa saber quem é Jesus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: